Budapeste: pontos turísticos e atrações da capital da Hungria

Budapeste para mim foi uma grande supresa. Uma grande e boa surpresa. Há tempos antes da minha viagem já tinha muita curiosidade sobre a capital da Hungria. E a cidade me surpreendeu positivamente. Pela sua beleza, a cordialidade dos húngaros e uma noite bem agitada. Outra vantagem para os brasileiros é que por conta de estar fora da zona do Euro (a moeda deles é o Florim Húngaro), Budapeste é uma cidade mais barata comparada a outras capitais européias. A seguir você confere o que fazer em Budapeste. Gira comigo!

Buda e Peste
A cidade com a formação que conhecemos hoje é recente, resultado de uma fusão em 1873 entre duas cidades distintas: Buda, na margem ocidental do Danúbio, e Peste, na margem oposta. Apesar da proximidade, as duas cidades se desenvolveram separadamente e a primeira ponte de conexão entre as duas, a imponente Ponte das Correntes, foi construída só em 1849.  De alguma forma a distinção entre as duas partes da capital húngara continua até hoje. Buda é a região mais histórica, onde fica o Castelo de Buda, entre outros monumentos importantes. E Peste é onde fica a área mais moderna e central da cidade, repleta de hotéis, lojas e restaurantes. 


Pontes conectam Buda e Peste

Beleza que impressiona
Duas coisas me chamaram muito atenção assim que cheguei na cidade. A primeira foi a limpeza. O centro e as regiões turísticas são extremamente limpos e bem cuidados, dos gramados às calçadas tudo é perfeito. E a segunda coisa foi a beleza. Budapeste é uma das cidades mais bonitas da Europa, não ficando nada a dever a Paris e saindo na frente das suas vizinhas do leste Viena e Praga. Seja das margens do rio Danúbio do lado de Peste ou do alto das colinas de Buda, os visuais são de matar de lindos. 

Vista de Budapeste

Giro em Peste
O lado de Peste é o mais agitado e o que oferece também melhor estrutura para os visitantes. Totalmente plano, Peste é o lugar onde a ação realmente acontece na cidade e é o lugar ideal para sentir verdadeiramente a vida na capital húngara. Uma atmosfera movimentada com cafés, bares, eventos, festas, mercados e muito mais. Várias calçadões para pedestres conectam as ruas e praças charmosas da região. 

UNADJUSTEDNONRAW_thumb_7f4
Ruas de Peste

Comece seu passeio pelo Central Market Hall, o maior mercado da Hungria, mais ao sul de Peste e próximo da beira do rio. No primeiro piso você encontra vários tipos de especiarias, queijos, frutas e vegetais. Já no segundo ficam as lojas de souvenir e roupas. O edifício também tem um significado arquitetônico. A estrutura metálica do telhado ainda é a original de 1897 e o telhado é coberto com azulejos decorativos Zsolnay, tradicionais do país.


O interior do Mercado da cidade

Seguindo em direção ao norte de Peste, você passa pela região das lojas, que contam com a maioria das marcas conhecidas, além de cafés, bares e mais lojas de souvenir. Chegando na região central está a Basílica de Santo Estevão. Construída em memória do primeiro rei da Hungria, Estêvão I, é o maior templo do país, com 96 metros de altura e uma capacidade para mais de 8500 pessoas. Após meio século de obras, a igreja foi concluída em 1905 e está decorada com elementos luxuosos em mármore e jaspe.
A entrada é gratuita. Estação do metrô: Bajcsy Zsilinszky út‎, linha M1 (amarela) e Arany János utca, linha M3 (azul).


A fachada da Basílica de Santo Estevão


O interior luxuoso da Basílica

Bem perto da Basílica fica a Ópera Estatal Húngara. Instalada em um belo prédio neo-renascentista com vários elementos em mármore e muitos afrescos, a casa de espetáculos foi aberta em 1884. Você pode fazer um tour pelo prédio para conhecer o interior e a história do local. O tour inclui ainda um mini-concerto com dois cantores líricos fazendo uma apresentação de 10 minutos. Mas se você é fã de ópera, vale a pena reservar uma noite para conferir um espetáculo. A programação da casa é extensa e pode ser conferida no site deles. O preço dos ingressos também é bem convidativo.
http://www.opera.hu
O valor da entrada para o tour é de HUF 2.490. Estação do metrô Ópera, linha M1 (amarela).


O belíssimo prédio da Ópera húngara

Voltando em direção ao rio fica a Liberty Square. A praça é parada obrigatória já que concentra alguns dos edifícios mais bonitos da cidade ao seu redor. Se você der sorte, ainda pode encontrar algum evento rolando por lá, com shows e performances. 


Detalhe da Liberty Square

Seguindo por um agradável boulevard com restaurantes você chega numa das grandes jóias da cidade: o prédio do Parlamento Húngaro. A beleza e dimensões do edifício impressionam. O prédio é o terceiro maior edifício de Parlamento do mundo. Tem 691 salas, 20 quilômetros  de escadas e 96 metros de altura. Teve sua construção concluída em 1902. Visitas guiadas ao Parlamento estão disponíveis. O passeio leva cerca de 45 minutos e cobre as escadas e salões da entrada principal, um dos lobbies, a antiga Câmara dos Lordes e as Jóias da Coroa Húngara.
O valor da entrada para o tour é de HUF 5.800. Estaçãos de metrô e bonde Kossuth Lajos tér, linha M2.


Parte de trás do prédio do Parlamento


A frente do edifício

Como o Parlamento está nas margens do rio Danúbio, para terminar seu giro em Peste, faça uma caminhada pela beira do rio, apreciando os prédios históricos e a vista de Buda do outro lado. Programa perfeito para o fim de tarde.

Danubio Rio
Não deixe de passear pelas margens do Danúbio

Giro em Buda
Buda é o lado mais calmo e relaxado da cidade, com vários bairros residenciais. Mas, próximo ao rio, ficam alguns pontos importantes de Budapeste. Entre eles está a Colina do Castelo, região que é patrimônio histórico da UNESCO. O ideal é deixar um dia só para conhecer as atrações de Buda com calma. Mas caso você não tenha muito tempo, reserve pelo menos uma tarde. Por entre as ruas de paralelepípedos você encontra  restaurantes, lojas de artesanatos e diversos cantos charmosos.
Para chegar a Colina você pode usar o Furnicular de Budapeste, que liga a Praça Clark Ádám Ter, situada ao lado da Ponte das Correntes, até o Castelo de Buda. Os ônibus das linhas 16, 16A e 116 também fazem o trajeto do centro de Peste até a parada Zentháromság tér.

 
Monumento nas ruas de Buda

O Castelo de Buda fica no alto da Colina e conta com grandes pátios e passarelas na parte de fora com vistas de tirar o fôlego da cidade. Hoje, após resistir a muitas tempestades e reconstruções, o Castelo desempenha um importante papel cultural. O complexo abriga a Galeria Nacional Húngara, que reúne obras dos maiores artistas húngaros, o Museu de História de Budapeste, que mostra aspectos interessantes da história da cidade e também a Biblioteca Nacional Széchényi.
Entrada grátis para passear pelos arredores e o jardim, já os museus tem entrada paga. A entrada para o Museu de História de Budapeste é de HUF 2000.


Entrada do Castelo de Buda

Castelo de Budapeste
O pátio e o Castelo 

Já ao centro da colina fica outro ponto famoso da cidade: o Bastião dos Pescadores, um dos monumentos mais lindos da capital. A construção do Bastião dos Pescadores terminou em 1902, depois de quase duas décadas de obras. Suas sete torres homenageiam as sete tribos fundadoras da Hungria. Pelas colunas do Templo é possível ver a vista de Peste e fazer aquelas fotos bem Instagramáveis. A entrada é gratuita. 


O famoso Bastião dos Pescadores


Para aquela foto bem blogueirinho, o ponto é aqui mesmo

Ao lado do Bastião fica a Igreja de Matthias, a igreja católica mais famosa de Budapeste. Fundada no século XIII, foi primeiro usada como uma mesquita pelos turcos e depois completamente reconstruída no período barroco. Chegou ao seu estado atual no final do século 19, quando o arquiteto Frigyes Schulek construiu a igreja neogótica que pode ser vista hoje. Suas duas torres ornamentadas são de tamanhos diferentes.
A entrada custa HUF 1500.

Igreja Matias Buda
Detalhes da Igreja de Matthias

Outro ponto de destaque de Buda é a Colina de Gellért. Coberta por uma vegetação verde, a colina faz parte do panorama de Budapeste. A fortaleza localizada no topo da colina, batizada de Citadella, foi erguida durante o governo dos Habsburgos. A Estátua da Liberdade que fica em frente à fortaleza é de uma figura feminina segurando uma folha de palmeira. Este é o local mais popular para apreciar a vista da cidade, já que é o ponto mais alto de Budapeste.
A entrada para visitar a fortaleza é de HUF 1200, mas você pode ver a vista de outros pontos gratuitamente. Ônibus da linha 27 até a parada Búsuló Juhász.


Vista do alto da Colina de Gellért

Ponte das Correntes
Depois de passear pelos dois lados da cidade, é hora de conferir de perto a Ponte das Correntes. A primeira ponte da capital húngara é um verdadeiro monumento. No entanto, a ponte atual não é a que se construiu há mais de 150 anos, e sim uma reconstrução dessa. A original foi destruída pelos nazistas na Segunda Guerra. A nova ponte foi inaugurada em 1949, 100 anos depois que a primeira. Uma das vistas mais bonitas é à noite com a ponte e o Castelo de Buda ao fundo iluminados. 

UNADJUSTEDNONRAW_thumb_791
O visual da Ponte das Correntes iluminado a noite

No próximo post vou falar sobre as famosas casas de banho da cidade, a gastronomia da capital húngara e a animadíssima noite de Budapeste. A seguir confira algumas dicas espertas para a sua viagem:

  • A moeda é o Florim Húngaro. R$ 1 equivale a HUF 74. Ou 1 Euro equivale a HUF 324.
  • A passagem simples de transporte custa HUF 350. Um jantar padrão para duas pessoas sem bebida alcóolica custa em torno de HUF 4000.
  • Dar gorjetas na Hungria é um costume mais habitual do que em outros países da Europa. Abra a mãozinha.
  • A temperatura no verão (julho e agosto) pode chegar a 30 graus. Já no inverno (janeiro e fevereiro) as médias são negativas.
  • A melhor região para ficar hospedada é em Peste, próximo ao rio Danúbio, já que conta com a melhor infraestrutura para os turistas
  • A cidade tem um rede de transporte público bem eficiente com metrô, ônibus, trólebus e bondes. Mas se você gosta de caminhar, é possível conferir todas as atrações à pé.
  • Não há vôos diretos do Brasil para a capital da Hungria. É necessário fazer escala em outro país europeu. As principais companhias low cost que voam para Budapeste são a Ryanair e a Wizzair.
  • Budapeste conta com três estações ferroviárias internacionais e tem conexão com todas as capitais próximas. A viagem para Viena tem duração de cerca de 2 horas.
  • Existe a opção de ir de barco de Viena para Budapeste (bem mais charmosa!). A viagem tem duração de 4h30 e custa cerca de 90 euros por pessoa.

Ponte Danúbio

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s